Educação inclusiva é debatida durante visita de deputado e representantes de movimento social ao TCE-RO

Recebido pelo presidente Paulo Curi Neto, o deputado Cirone Deiró estava acompanhado de representantes do movimento político-social Comissão de Mães Atípicas (Marias) e do Instituto Cuidar & Desenvolver

A educação inclusiva no Estado de Rondônia foi uma das principais pautas debatidas durante visita institucional realizada pelo deputado estadual Cirone Deiró, membro do conselho de educação da Assembleia Legislativa do Estado de Rondônia (ALE-RO), na manhã desta segunda-feira (21/2), ao Tribunal de Contas (TCE-RO).

Recebido no Gabinete da Presidência pelo conselheiro presidente Paulo Curi Neto, Deiró estava acompanhado de Heline Braga e Maria Kliviane Meirelles, representantes do movimento político-social Comissão de Mães Atípicas (Marias) e do Instituto Cuidar & Desenvolver, respectivamente.

Heline Braga e Maria Kliviane Meirelles, representantes da Comissão de Mães Atípicas (Marias) e do Instituto Cuidar & Desenvolver, respectivamente

Na ocasião, o deputado e as representantes das entidades falaram do retrocesso verificado na educação de crianças e jovens portadores de necessidades especiais no Estado de Rondônia.

Mencionaram ainda a necessidade de haver especialistas, devidamente capacitados, em áreas específicas, como pedagogos, fonoaudiólogos, fisioterapeutas, entre outros, os quais ajudariam sobremaneira na melhoria da qualidade da educação para essas crianças e jovens.

Por sua vez, o conselheiro presidente Paulo Curi falou da relevância de se debater a educação inclusiva em Rondônia. Citou ainda estudos que, de fato, registram que a pandemia fez retroceder a educação no geral.

O conselheiro Paulo Curi e o deputado Cirone Deiró na reunião desta segunda-feira no TCE-RO

Para atacar essa questão, o TCE-RO – desde 2020 e, a partir de 2021, como objetivo previsto em seu Plano Estratégico – tem priorizado o controle relativamente às políticas públicas voltadas à educação, mais precisamente a alfabetização, deflagrando, além de auditorias, ações, como o Programa de Alfabetização na Idade Certa (PAIC), efetivado em parceria com o Estado e Municípios.

Segundo ele, a solução para a questão educacional passa também por uma ampla mobilização e engajamento de todos os atores envolvidos, em um processo em que todos devem ser ouvidos, incluindo, por óbvio, as mães e associações, a fim de se identifiquem as prioridades que serão eleitas para atuar e, assim, seja efetivada uma reestruturação desse quadro.

Quanto a isso, destaque ainda para a experiência do Gabinete de Articulação para Efetividade da Política da Educação em Rondônia (Gaepe-RO), na qual órgãos do sistema de controle e da justiça debatem, com gestores e demais agentes públicos, temáticas relacionadas à educação.