Obra está orçada em R$ 41,6 milhões, com recursos oriundos do governo federal

A implantação da rede de esgoto em Vilhena avança dentro do cronograma e já conta com mais de 30 quilômetros de instalações de rede pública e rede condominial, além da construção da primeira lagoa facultativa que irá compor a Estação de Tratamento de Esgoto (ETE).

Projetada pela empresa Csaneo Engenharia, ganhadora da licitação, a obra tem capacidade de escoamento maior que a necessidade atual, sendo capaz de suportar crescimento populacional para, pelo menos, os próximos 25 anos.

De acordo com Maciel Wobeto, diretor geral do Serviço Autônomo de Águas e Esgotos (Saae), o consórcio de empresas APJ-Cima, responsável por executar a obra, tem seguido fielmente o projeto, que conta com uma fiscalização rigorosa de diversos profissionais técnicos.

“Além da fiscalização da equipe técnica do Saae e da empresa Csaneo, o projeto, por ser custeado com recursos federais, também é fiscalizado pela Caixa Econômica Federal, que por meio dos seus técnicos, acompanham toda a execução e também garantem que tudo esteja sendo feito conforme licitado e aprovado previamente após anos de estudos e análise. Caso ocorra novas ocupações das áreas habitacionais, apenas pequenos trechos da rede serão substituídos, sem a necessidade de alteração dos trechos de rede mais importantes, como interceptores ou linhas de recalque”, explica Maciel.

Segundo a engenheira  civil e diretora do departamento de Planejamento e Projetos do Saae, Mariane da Rosa, o projeto foi elaborado de acordo com a Norma n° 9649/86 da Associação Brasileira de Norma e Técnicas (ABNT) para Projetos de Redes Coletoras de Esgoto Sanitário, seguindo também orientações de companhias de saneamento estaduais com longas experiências no assunto, como a CAESB (Companhia de Saneamento Ambiental do Distrito Federal), Embasa (Empresa Baiana de Águas e Saneamento) e Sabesp (Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo).

Sendo assim, Mariane explica que a utilização de tubulação com 100 milímetros de espessura no ramal condominial está seguindo todas as recomendações de normas e adaptações necessárias para o bom funcionamento do sistema de coleta de esgoto, e que cada ramal irá atender uma quadra, com em torno de 30 casas, equivalente a vazão de 0,21 litros por segundo, ou seja, 14% da capacidade desta tubulação em específico.

“A fiscalização tem acompanhado para garantir que as declividades da tubulação sejam no mínimo de 0,5% e que as velocidades não ultrapassem o limite de cinco metros por segundo, para que o escoamento, que é feito pela gravidade e não por bombas de pressão, ocorra sem acúmulo de resíduos ou desgaste dos tubos“, ressalta Mariane.

Já em relação às valas escavadas para a instalação das tubulações, conforme a Norma n° 12.266 da ABNT, sua largura deve variar de acordo com as características do serviço executado, como profundidade, tipo de escoramento e o diâmetro da tubulação.

“No caso da obra de Vilhena, a largura da vala para assentar a tubulação de 100 milímetros foi determinada em 50 centímetros, permitindo que os trabalhos no seu interior sejam realizados de forma adequada. Por isso ela sempre terá uma dimensão maior que o da tubulação assentada”, explica a engenheira.

Esta primeira etapa de execução da obra de Esgotamento Sanitário está orçada em R$ 41.691.763,25 milhões, que somando com o valor da obra de Ampliação e Readequação do Sistema de Abastecimento de Água, avaliada em R$ 31.034.381,96 milhões, resulta em quase R$ 100 milhões, oriundos de recursos federal, com contrapartida do município de quase R$ 200 mil. É o maior conjunto de obras já executado no município.

Neste período, o Saae pede a compreensão e colaboração dos moradores para possíveis transtornos gerados pelas obras. Além disso, a autarquia informa que para que haja o bom funcionamento da rede, é preciso que algumas recomendações sejam seguidas, como: não quebrar ou danificar os Poços de Visitas (PVs), não utilizar ainda as Caixas de Inspeção (CIs) , não lançar água pluviais na rede esgoto, pois ela só deve receber águas provenientes dos banheiros, máquinas de lavar roupas, tanques, pias de cozinha e máquina de lavar louças.

Dúvidas podem ser sanadas pelo WhatsApp institucional do Saae, 3321-3974.

30 KM DE REDE DE ESGOTO já foram feitos em Vilhena: fiscalização técnica municipal, federal e particular acompanham a obra