PC conclui inquérito sobre estupro e morte de enfermeira encontrada dentro de guarda-roupas em Ji-Paraná

A Delegacia de Homicídios do município de Ji-Paraná concluiu o inquérito que apurava a morte da enfermeira Ângela Maria Silva Duarta, de 52 anos, ocorrida no dia 05 de janeiro deste ano, em uma casa localizada na rua Projetada, no bairro Greenvile. (Relembre AQUI)

De acordo com o inquérito, foi compravado através das investigações que o vizinho da vítima, de iniciais V. F, atraiu a enfermeira até sua casa sob pretexto de lhe vender uma pia e além de estupra-la, a matou por entrangulamento.

Após cometer os dois primeiros crimes, o suspeito ainda praticou mais um, que foi o de ocultação de cadáver, ao colocar o corpo da mulher dentro de seu guarda-roupas, sob alegação de temer ser morto pelos familiares de Ângela.

Preso pela Polícia Militar em Rondolândia/MG, o agente afirmou não se lembrar dos fatos, devido ter ingerido muita vodka e ter usado 10 pedras de crack, versão esta descartada pelo delegado Luiz Carlos Hora, que presidiu as investigações.

“V. F. estuprou e matou e tudo o que disse é mentiroso” afirmou o delegado.

Com a conclusão do inquérito, V. Foi indiciado pelos crimes de estupro qualificado pelo agravante morte e por ocultação de cadáver, que somados podem chegar a pena máxima de 33 anos de reclusão.

Fonte: Segundo News